Criado no 1° semestre de 1973, o Curso de Pós-Graduação em Letras da FALE/UFMG foi reestruturado no 2° semestre de 1975, com três áreas de concentração em nível de Mestrado – Linguística, Inglês e Literatura Brasileira. No ano de 1984, foi aprovado o Doutorado em Literatura Comparada. Em 1993, o curso foi desmembrado, originando os programas de Letras: Estudos Linguísticos e Letras: Estudos Literários. Este último passou a ser conhecido como Pós-Lit e tinha, na sua implantação, cinco áreas de concentração: Literatura Brasileira (Mestrado), Literatura Francesa (Mestrado), Literaturas de Expressão Inglesa (Mestrado), Teoria da Literatura (Mestrado) e Literatura Comparada (Doutorado). As linhas de pesquisa eram: Literatura e Psicanálise, Poéticas da Modernidade, Literatura e Outros Sistemas Semióticos, Teorias do Comparativismo, Literatura e Expressão da Alteridade e Literatura, História e Memória Cultural. Já nessa primeira formatação, as linhas foram concebidas como transversais às áreas, modelo inovador que permanece em vigor ainda hoje. O processo de desmembramento, entretanto, levou anos para ser efetivado oficialmente, devido a complexos trâmites entre o programa e a CAPES, encerrando-se apenas em 1998.

Em todas as avaliações anteriores a 1998, o curso obteve conceito A. Na avaliação do biênio 1996-1997, o Programa foi recomendado com a nota 6, por ser o máximo permitido a um programa considerado, administrativamente, como novo. Na avaliação do triênio 1998-2000 obteve a nota 7, o que se repetiu em todos os últimos triênios e comprova que o Programa vem mantendo altos índices qualitativos, sendo reconhecido pela CAPES como um centro de excelência e uma referência nacional e internacional.

Os quatro triênios de aprovação máxima pela CAPES, no entanto, não levaram o programa à acomodação. Um dos pontos fortes do Programa tem sido sua capacidade de promover uma contínua auto-avaliação, de modo a atender às transformações e desafios que surgem no âmbito dos Estudos Literários. Este exercício de reflexão permanente, impulsionado também pelas atividades de pesquisa de seus docentes e discentes, pelos Núcleos de Pesquisa da Faculdade de Letras, pelo trânsito salutar entre docentes veteranos e jovens, por novos agrupamentos e interesses de estudos, motivou a realização de um amplo e intenso processo avaliativo interno, realizado de março de 2011 a fevereiro de 2012, objetivando uma densa reflexão sobre sua estrutura de então, de modo a projetar e executar as modificações e ações que se mostrassem pertinentes. Desse rico processo de discussão coletiva, chegou-se, por expressa vontade da maioria, às propostas que culminaram com a reestruturação do Programa que entrou em vigor a partir de 2013, já aprovada por todas as instâncias cabíveis. Faz parte da trajetória do Pós-Lit a história de seus periódicos, em especial da revista Aletria (QualisA1), que espelha o perfil transdisciplinar do programa, apresentando dossiês dos mais diversos temas, muitas vezes organizados por um dos núcleos de pesquisa em que se reúnem os docentes. Nascida da antiga Revista de Estudos de Literatura (disponível no site do programa), que teve 5 números publicados entre 1993 e 1997, Aletria surgiu como publicação anual temática, passou a semestral em 2006 e quadrimestral em 2009. A sequência dos títulos temáticos dá uma boa ideia dos interesses que agregam os docentes em núcleos e linhas de pesquisa e pode ser vista no site http://www.letras.ufmg.br/Poslit (link Publicações→Periódicos). Em nível de excelência em sua área de concentração, e igualmente qualificado como Qualis A pela Capes, o periódico O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira é outra publicação importante do programa. Contando com periodicidade semestral, tem como objetivo fomentar a produção teórica, crítica e ensaística na área de Literatura Brasileira, acolhendo a produção de pesquisadores do Brasil e do exterior. Mantido pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil) desde 1982, consolidou prestígio junto aos pares e permanece contribuindo para o debate qualificado e o avanço das pesquisas nesta área de estudos. O periódico pode ser visitado em http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/o_eixo_ea_roda. O programa abriga, ainda, um periódico eletrônico editado pelos pós-graduandos. O periódico Em Tese tem publicação quadrimestral e está voltado para a divulgação de produções e pesquisas nas áreas de Estudos Literários e de Artes. Esses dois periódicos também podem ser visitados no site do Pós-Lit (link Publicações→Periódicos).

Ao longo de quatro décadas, se levarmos em conta o período anterior ao desmembramento, o programa adquiriu marcada relevância na área e consolidou um perfil próprio, reconhecido hoje em todo o Brasil. Contribuiu, assim, para tirar os estudos literários de sua antiga concentração em um pequeno número de instituições, ampliando as opções dos candidatos à pós-graduação no país. A internacionalização já fazia parte das atividades do curso, através de convênios, projetos conjuntos e participação de professores visitantes desde a década de 1970, intensificando-se a partir de meados da década de 1980. A transdisciplinaridade como traço definidor manifestou-se já na delimitação das linhas de pesquisa em 1993. Ao proceder a uma revisão completa de sua estrutura, o Pós-Lit continua a concentrar seus esforços em manter-se à altura dos padrões de excelência da área, como vinha fazendo nas décadas anteriores.

Estrutura do Programa 

Em 1998, foi realizado o desmembramento do antigo Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários e Estudos Linguísticos, ficando o Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários (Pós-Lit) autônomo. A CAPES, ao separar os dois cursos, considerou-os como novos. Entretanto, deve-se salientar que o curso de Mestrado teve início efetivo em 1973, e o de Doutorado em 1985. Em 2010, o Programa passou a ser denominado Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários (Pós-Lit).

Em abril de 2012, o Colegiado do Programa, reunido em 30 de março de 2012 aprovou, por unanimidade, a proposta de reestruturação e alterações regimentais.

A estrutura do Pós-Lit, a partir de então, define-se a partir de dois níveis (Mestrado e Doutorado), cinco áreas de concentração e sete linhas de pesquisa.

Áreas de Concentração
. Literatura Brasileira
. Literaturas Clássicas e Medievais
. Literaturas de Língua Inglesa
. Literaturas Modernas e Contemporâneas
. Teoria da Literatura e Literatura Comparada

- Linhas de Pesquisa - Mestrado e Doutorado

  • Edição e recepção de textos literários (ERTL)
    Ementa: Estudo do texto literário e de sua recepção, do ponto de vista de sua gênese, da preparação de originais, edições, paratextos, comentários, críticas e interpretações.
  •  Literatura e Políticas do Contemporâneo (LPC)
    Ementa: Estudo da literatura em suas interseções com o pensamento e as culturas políticas contemporâneos.
  • Literatura e Psicanálise (LP)
    Ementa: Estudo dos pontos de convergência entre a experiência literária e a experiência psicanalítica, enquanto “práticas da letra”, numa perspectiva freudiana e lacaniana.
  • Literatura, História e Memória Cultural (LHMC)
    Ementa: Estudo das relações entre literatura, história e memória cultural, com o objetivo de investigar as articulações entre experiência vivida, ficção e organização social, bem como a constituição de acervos enquanto fontes primárias.
  • Literatura, outras Artes e Mídias (LAM)
    Ementa: Estudo dos aspectos críticos e teóricos associados aos Estudos Interartes, compreendendo as relações entre a Literatura, outras artes e produções compostas em mídias variadas, em diferentes momentos históricos.
  • Poéticas da Modernidade (PM)
    Ementa: Estudo das poéticas da Modernidade, do ponto de vista das teorias e das práticas literárias.
  • Poéticas da Tradução (PT)
    Ementa: Estudos da tradução literária e de suas poéticas, do ponto de vista crítico, teórico e histórico, englobando a prática da tradução em suas diversas modalidades textuais.

 

Outros Programas